2. PERÍODO NEOCLÁSSICO

Contexto histórico: Chegada da corte portuguesa ao Brasil, fugindo das tropas de Napoleão Bonaparte. O regente Dom João VI abriu os portos do país, permitindo o funcionamento de fábricas e fundou o Banco do Brasil. Com isso, o país tornou-se Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves e Dom João VI, coroado rei. Logo depois voltou para Portugal, deixando seu filho mais velho, Dom Pedro I do Brasil, como regente do país. É nesta época que surge também o movimento higienista. 

Chegada da família real ao Brasil

  

  

  

  

  

  

  

 

Período em que acontece a Arquitetura Neoclássica: Aproximadamente entre os anos de 1830 até o final do século XIX. 

O que foi o Período Neoclássico: A relação social partia dos locais de infra-estrutura urbana, como por exemplo, as fontes de água. 

Cada detalhe que surge na arquitetura, em determinadas correntes, tem seu porquê, como é o caso do surgimento das casas elevadas, influenciado pelas correntes higienistas, com isso, as residências eram ventiladas mantendo a privacidade. Ou seja, a arquitetura dava resposta às correntes com modificações. 

Com a chegada da corte portuguesa ao Brasil, a vida aqui fica mais requintada, os hábitos começam a ser mudados, um exemplo disso foram os vestidos das portuguesas, refinados e que não poderiam ser molhados ou sujos. Com isso começaram a ser utilizados platibandas para evitar que a água descesse dos telhados diretamente. 

Antes no período colonial pode se relembrar que o status social poderia ser definido também por um elemento arquitetônico, que agora deixa de ser usado quando parte-se para a platibanda, era a eira e a beira. Surgem também agora outros elementos, retomados das ordens clássicas, frontão, simetria, colunas – sem capitéis, entre outros. 

A bandeira nas esquadrias é um elemento que surge para aumentar a área de iluminação, porém com o vidro fixo. 

Os andares das construções recebiam diferenciação, por rebuscamento na ornamentação e elementos. 

Alguns casos fugiam do usual, e a diferenciação aparece não por pavimentos, e sim por fachadas, como é o caso da Casa do Barão Rodrigues Mendes, Recife. A qual também diferencia-se por não apresentar porão e por ter sua cobertura mais rebuscada. 

O pavimento térreo das residências no colonial era usado muitas vezes como fins comerciais, no neoclássico passa então a servir de sala e ante-sala, tendo função social. 

No final do período pode-se perceber a existência de um pequeno jardim na frente da residência circundado por gradil de ferro (Inspirados em jardins europeus). 

As igrejas são as últimas tipologias a aderir as correntes, um exemplo pode ser a Candelária no Rio de Janeiro. 

Fonte Imagem: http://1.bp.blogspot.com/_vhfheo08cce/shipxz4jjji/aaaaaaaah9c/182cketnoec/s400/familia+real+-+chegada+ao+rio+2.jpg 

 Características: Simetria, uso das ordens clássicas, diferenciação por pavimentos, chafarizes, uso de detalhes em talha, uso da platibanda, rigor métrico, janelas ornamentadas, casas de porões altos, edificações avançavam o limite da rua, correção da topografia e uso da escada. Uso do vidro simples ou colorido. Presença de elementos clássicos, como colunas, frontões, entre outros.

Resgate: Vasos, pináculos, compoteiras e figuras de louça do porto, ânforas, estátuas ou fruteiras, marcando as fachadas, platibandas entre outros. Uso materiais nobres como a pedra, mármore, granito e madeiras. 

O esquema das plantas continua simplificado, com paredes grossas, alcovas e corredores, telhados elementares e balcões de ferro fundido. Em alguns casos a porta da frente, de maiores dimensões, abre para um saguão relativamente amplo, valorizado por barras de azulejos coloridos e escada de madeira torneada, onde nota-se, portanto, a valorização do interior das residências.

Exemplares no Rio de Janeiro:  

Candelária - Rio de Janeiro

 Fonte: http://img.photobucket.com/albums/v241/phobos.europe/igrejadacandelariariodejaneiro.jpg 

 Características: 

* No final do período os vidros coloridos começam a ser usados, com desenhos geométricos, o desenho só fica livre no Art Noveau. 

* O museu imperial no Rio de Janeiro é um forte exemplo do neoclássico no Brasil, pois apresenta os principais elementos deste período, sendo eles: escadaria, pilares marcados, sacada, platibanda, frontão, padieiras, ânforas, compoteiras, diferenciação por andares, entre outros. 

* Sofreu muitas mudanças, em função do carro, ocorrendo deste forma, muitas mudanças principalmente na sua entrada. 

 Exemplares em Belém – Pará: 

 

 

 

 

 

 

Características: 

* Uso de platibanda, calhas. 

* Frontão triangular “rigores métricos” (neoclássico e não clássico). 

* Bandeira (aumenta a iluminação). 

* Simetria, diferenciação de pavimento. 

* Correção da topografia. 

  Exemplares em Recife:   

Teatro de Santa Isabel - Recife

Fonte: http://www.baixaki.com.br/imagens/wpapers/BXK20050_recife-teatro-santa-isabel-1800.jpg 

Características: 

* Retomada da ordem clássica com detalhes modernos e diferenciados. 

Exemplares em São Paulo: 

Características: 

* Uso do vidro colorido e geométrico. 

* Jardins, pátios. 

* Terraços. 

   Igrejas: 

Relógios

Características: 

* Eram proibidas de se parecer com igrejas comuns, sem torres. 

* Parece ser uma casa da época, com acréscimos de frontão e colunas, mas sem platibanda e janelas “comuns” para o período. 

*Simétrico, sacada e hall, uso de colunas, janelas com ornamentos. 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s